Entenda a importância do porto de Mariupol para a Ucrânia; cidade foi devastada na guerra

Porto de Mariupol, em foto de 2020. Fonte: Ministério da Infraestrutura da Ucrânia, CC BY 4.0

Mariupol, cidade no sudoeste da Ucrânia, ainda resistia à ofensiva militar da Rússia nesta terça-feira (19). Mesmo os mais otimistas líderes ucranianos admitem, entretanto, que os russos podem tomar o controle da localidade nos próximos dias.

A queda de Mariupol seria uma grande vitória para Moscou na Guerra da Ucrânia, que confirmaria não só o controle sobre todo o mar de Azov — ao norte do mar Negro — como também a tomada de um dos portos ucranianos mais importantes.

Leia mais, no fim deste texto, sobre a crise humanitária em Mariupol

Afinal, era do porto de Mariupol que a Ucrânia exportava ferro, aço, grãos e maquinário para outros países, exportações da mais alta importância para a economia ucraniana.

Com a tomada da Crimeia pelos russos em 2014, Mariupol se tornou a única grande cidade ucraniana na margem do mar de Azov. E isso preocupava o governo da Ucrânia não só pelo risco de uma invasão da Rússia ao leste do país — o que acabou se concretizando — mas também porque o porto local tem essa importância estratégica para Kyiv. Veja o mapa abaixo.

A Ucrânia até tem outros importantes e grandes portos — Odessa, por exemplo, fica diretamente na beira do mar Negro, e, saindo de lá, os navios não precisam passar tão rente ao território russo ou ocupado pela Rússia para seguir viagem rumo ao Mediterrâneo.

No entanto, é em Mariupol ou em outras localidades do leste da Ucrânia onde ficam fábricas essenciais para a economia ucraniana. Escoar a produção para o litoral oeste do país, o maior da Europa em extensão territorial (a conta não inclui, por óbvio, a Rússia), não é uma tarefa tão simples.

Metalúrgica Azovstal, em foto de 2007. Foto: CC BY-SA 3.0

Uma das indústrias na região é a metalúrgica Azovstal, um dos maiores parques industriais do setor em toda a Europa — são 11 km² — e localizada nas proximidades do porto de Mariupol.

O complexo ganhou notoriedade na guerra porque, com o cerco à cidade, militares e cidadãos ucranianos usam a infraestrutura da usina como uma linha de defesa contra os russos, mostra uma reportagem do jornal britânico “The Guardian”.

Crise humanitária em Mariupol

Prédio em Mariupol destruído após bombardeio russo. Foto: Ministério de Assuntos Internos da Ucrânia, Mvs.gov.ua, CC BY 4.0

Mariupol está entre os centros urbanos mais devastados pela guerra, que já se arrasta há quase 60 dias. O próprio presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reconheceu na semana passada que a cidade foi completamente destruída.

Assim, a situação humanitária em Mariupol é gravíssima: estimativas do governo ucraniano — não verificadas por fontes independentes — apontam que de 10 a 20 mil pessoas tenham morrido no conflito.

Além disso, outras dezenas de milhares ainda teriam ficado presas na cidade, com o cerco russo à cidade. Tentativas de formar um corredor humanitário para retirar moradores ou não deram certo ou tiveram curtíssima duração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s